NUTRIÇÃO PARA A TERCEIRA IDADE

 

GANHO DE MASSA E FORÇA MUSCULAR EM IDOSOS - COMO ENVELHECER ATIVO

 

          Após os 65 anos, temos um declínio mais rápido da perda de massa muscular, principalmente nos membros inferiores. Porém estima-se que essa perda inicie a partir dos 40 anos, com redução de 5% a cada década. 

 

          No consultório, em atendimento com idosos, é perceptível essa diferenciação da fisiologia corporal. A sarcopenia, que caracteriza a perda de massa e força muscular juntamente com um ganho de gordura, resulta em dificuldade da manutenção da estabilidade estática e/ou dinâmica, tornando a marcha cada vez mais incerta e conferindo maior risco para quedas e fraturas. Além disso, pode ocasionar incapacidade, dependência, hospitalização recorrente e morte. A sarcopenia acomete tal faixa etária, de modo que é necessário ter um olhar mais cuidadoso com esse processo se quisermos ter um envelhecimento mais saudável e ativo. 

 

          Com isso, é necessário desde cedo nos preocuparmos com esta fase, em que as perdas estão intensificadas. Para isto, devemos entender que o prejuízo ocorre com fatores diversos: má alimentação durante toda a vida, inapetência (bastante comum em idosos), sedentarismo, vícios, fatores ambientais e genéticos... Enfim, uma infinidade de questões atreladas à saúde. 

 

           Para tanto, o contrário também é possível. Os pacientes me perguntam se é possível envelhecer sem tantos prejuízos, com corpo e mente sãos. E a resposta é SIM! Porém dependemos dos fatores citados acima. Ao primeiro olhar, tal desafio pode parecer difícil, mas digo com tranquilidade que não é! 

 

          Praticar algum tipo de exercício físico, alimentar-se de forma mais saudável (evitando ao máximo industrializados, excessos de açúcar, sal, frituras...) e evitar vícios como álcool, tabaco etc., são tarefas possíveis se tivermos um pouquinho de disciplina, organização e vontade. 

 

            Além disso, podemos potencializar estes resultados com a inserção adequada de alguns suplementos que se tornam importantes, já que com o passar dos anos a produção endógena de alguns componentes diminui significativamente. 

 

          Pensando então na sarcopenia, um estudo controlado randomizado do British Journal of Nutrition, que foi publicado em junho de 2015, mostrou que a suplementação com peptídeos de colágeno junto ao exercício resistido melhorou a composição corporal e aumentou a força muscular em idosos homens com sarcopenia. O resultado mostrou que o ganho de massa muscular foi cerca de 50% superior, enquanto a força aumentou em praticamente 100% dos idosos quando comparados ao grupo placebo. 

 

          Contudo ainda é possível melhorar o caráter do aporte suplementar atrelando os peptídeos de colágeno (fragmentos de colágeno mais facilmente digeridos e absorvidos, otimizando a chegada na corrente sanguínea) a uma proteína do soro do leite (aminoácidos essenciais, entre eles o BCAA, e frações proteicas: como lactoferrina, imunoglobulinas, glicomacropeptídeos..., que aumentam a resposta imunológica do organismo, a saúde óssea, a ação antiviral, a saúde cardíaca, entre outros) e a um

complexo de vitaminas e minerais, tendo assim uma resposta ainda mais eficaz na estratégia suplementar. 

 

             Então é possível que retardemos o processo de declínio e ao mesmo tempo prolonguemos o tempo de saúde do corpo, fazendo com que o objetivo seja alcançado: o envelhecer ativo! 

 

          Entretanto é necessário e fundamental o desenvolvimento de mais estudos para melhor compreensão dos aspectos fisiopatológicos da sarcopenia, bem como a otimização de métodos para o diagnóstico precoce e a avaliação de medidas terapêuticas efetivas para o ganho de massa muscular esquelética em idosos. 

 

Referências: 

Andrade, I. T. D., Lancha Junior, A. H., & Campos-Ferraz, P. L. D. (2015). Efeito da suplementação de proteína isolada do leite ou da soja na prevenção da perda de massa muscular em idosos saudáveis: uma revisão.Nutrire Rev. Soc. Bras. Aliment. Nutr, 40(1). 

de Araujo Silva, T. A., Junior, A. F., Pinheiro, M. M., & Szejnfeld, V. L. (2006). Sarcopenia associada ao envelhecimento: aspectos etiológicos e opções terapêuticas. Rev Bras Reumatol, 46(6), 391-397. 

Salmaso, F. V., Vigário, P. D. S., Mendonça, L. M. C. D., Madeira, M., Netto, L. V., Guimarães, M. R. M., & Farias, M. L. F. D. (2014). Análise de idosos ambulatoriais quanto ao estado nutricional, sarcopenia, função renal e densidade óssea. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia e Metabologia, 2014, 58-63. 

Zdzieblik, D.; Oesser, S.; Baumstark, M.; Gollhofer, A.; Koning, D. Collagen peptide supplementation in combination with resistance training improves body composition and increases muscle strength in elderly sarcopenic men: a randomized trial, British Journal of Nutrition, p.1-9,2015. 

 

(51) 3592-6006 | (51) 3572-2503 | contato@clinicadalpizzol.com.br