CARBOXITERAPIA ULTRA MODERNA (ARES)

 

O Novo Ares da Ibramed é um equipamento microcomputadorizado para carboxiterapia, utilizado na medicina estética e fisioterapia dermatofuncional. É indicado para rejuvenescimento facial, celulite, gordura localizada facial e corporal, flacidez de pele corporal e facial, estrias, pré e pós-operatório de lipoaspiração, olheiras, cicatrização pós-cirurgias plásticas e estéticas, alopecia, psoríase e esclerose de telangiectasias. 
O CO2 é previamente aquecido através de um dispositivo do ARES, o que diminui o desconforto do paciente  e potencializa os resultados, elevando o fluxo sanguíneo local e da oferta de O2. É uma terapia rápida, pouco desconfortável e muito eficiente.

 

Indicações:

Aumento da circulação sanguínea local

Lipodistrofia ginóide (celulite)

Gordura localizada facial e corporal

Aumento da drenagem linfática

Rejuvenescimento facial

Rugas

Estrias

Olheiras

Melhora do processo cicatricial

Distúrbios vasculares

Terapia capilar

 

Efeitos Fisiológicos após a Infusão de CO2:

  • Vasodilatação artério-venosa; 
  • Aumento do volume e da velocidade do fluxo sanguíneo local; 
  • Aumento da drenagem sanguínea e linfática; 
  • Favorece a eliminação de toxinas;
  • Melhora a nutrição tecidual; 
  • Aumento do Efeito Bohr
  • Ação Lipolítica (lise dos adipócitos devido à atividade do metabolismo local); 

Efeito Bohr

Tanto o O2 quanto o CO2 utilizam como meio de transporte a hemoglobina (proteína contida nos glóbulos vermelhos do sangue). A afinidade entre a hemoglobina e o oxigênio depende de fatores como a concentração CO2 e o pH. Pequenos aumentos na concentração de CO2 diminuem o pH local, estimulam a liberação e oferta de O2 aos tecidos. 

Aumento do fluxo sanguíneo local

O aumento da concentração de CO2 e a diminuição do pH local relaxam fortemente os anéis de músculos lisos que envolvem as arteríolas e controlam o volume de sangue oferecidos aos tecidos. Com o relaxamento destes, ocorre um aumento de fluxo sanguíneo local que gera a melhora da oferta de nutrientes, e a remoção dos resíduos e toxinas locais. A temperatura local se eleva numa ordem que varia.

Distensão tecidual

A distensão tecidual provocada no local da aplicação pelo volume de CO2 insuflado, ativa uma cascata de sinalização do processo de reparo, regeneração e remodelagem tecidual, causando a ativação dos fibroblastos (células da derme) que produzem novas fibras de colágeno e de elastina.

Lipólise

O aumento de metabolismo local combina com a ativação do sistema nervoso simpático com liberação de catecolaminas na circulação sanguínea (adrenalina e noradrenalina). As catecolaminas se conectam a seus receptores específicos, localizados na membrana do adipócito o que promove a ativação da cascata lipolítica dentro do adipócito. A enzima LHS promove a lipólise do triglicerídeo em ácidos graxos e glicerol. Após a reação de lipólise, os ácidos graxos são liberados na circulação sanguínea para que posteriormente sejam utilizados como combustível energético para o metabolismo corporal ou então redepositados nos adipócitos pelo processo de lipogênese

Efeitos Terapêuticos

Se baseia na utilização de uma corrente com pulsos monofásicos que provocam o aumento de cargas elétricas no tecido, exercendo efeitos fisiológicos favoráveis que disparam o processo de reparação tecidual. A eletroestimulação de alta voltagem é um meio de administrar estímulos elétricos para promover a cicatrização de tecidos, aumento do fluxo sanguíneo, fagocitose, melhora da oxigenação, redução de edema, atração e estimulação de fibroblastos e células epiteliais, síntese de DNA e mitose celular, controle de infecção, aumento da produção de ATP, melhora do transporte nas membranas, auxilio na organização da matriz de colágeno e estimulação da contração da lesão de pele.

Saiba Mais...


A carboxiterapia se originou-se na França em 1932 e se refere a administração do gás carbônico com propostas terapêuticas. Inicialmente o tratamento era realizado via percutânea, mediante aos chamados banhos de água, carbonada aquecida, ou seja, a aplicação de água saturada em CO2 diretamente sobre a pele dos pacientes. A técnica era utilizada para tratamentos de arteriopatias e úlceras e os resultados obtidos encorajaram novos estudos, provocando assim a ampliação das indicações para outros tratamentos. Após o desenvolvimento de novas tecnologias a aplicação deixou de ser tópica e o CO2 passou a ser injetado diretamente no tecido subcutâneo, que garante resultados mais rápidos e melhores. O CO2 utilizado é medicinal, com 99,9% de pureza, idêntico ao produzido normalmente pelo metabolismo celular e é atóxico. É um método bastante utilizado na Medicina Estética e Fisioterapia Dermatofuncional que permite tratar a celulite, flacidez, gorduras localizadas, estrias e cicatrizes inestéticas, além de outros distúrbios. 
A terapia consiste em aplicações subcutâneas de concentrações controladas de gás carbônico. O CO2 é introduzido através de aplicação subcutânea com agulhas 30 G½ (insulina). É uma terapia rápida e muito eficiente.

Dúvidas Frequentes:

Em que consiste a carboxiterapia?

É um tratamento realizado com gás (CO2), auxilia nos tratamentos estéticos e potencializa seus resultados. 

Em quais disfunções a carboxiterapia ARES poderá atuar? 

A carboxiterapia ARES poderá ser empregada em tratamentos capilares, faciais e corporais, como alopecia, rugas e linhas de expressão (rejuvenescimento), correções após cirurgias plásticas, celulite, gordura localizada, estrias e flacidez de pele.

O ARES é um equipamento seguro?

Sim, é um equipamento confiável e seguro. Possui um software associado a um sensor de precisão que permite total controle dos parâmetros (volume, fluxo, pressão, volume total administrado). A carboxiterapia é um procedimento efetivo, reconhecido pela comunidade científica e deve ser executado por profissionais capacitados e habilitados. 

Quais são os efeitos esperados da carboxiterapia ARES?

A insuflação do CO2 no tecido promove um aumento quase imediato da vascularização, evidente pela hiperemia reacional que a pele apresenta durante o procedimento, acelera a velocidade micro circulatória e intensifica o efeito Bohr (efeito que promove maior liberação de O2 nos tecidos). Estimula também a formação de novos vasos sanguíneos, ativa a drenagem tanto sanguínea quanto linfática e, nos adipócitos, ativa a lipólise. 

Quais são as vantagens do método? 

O CO2 é amplamente empregado nos tratamentos dermatológicos e estéticos, não eleva a pressão arterial do indivíduo nem causa embolia. Não há restrições quanto a idade do paciente e pode ser utilizado em diversas áreas do corpo. O procedimento de aplicação é fácil e adquire bons resultados. O volume de gás infundido fica abaixo do volume produzido pelo organismo, portanto não interfere no metabolismo normal. 

A carboxiterapia ARES é com gás aquecido? 

Sim, o ARES possui um dispositivo que aquece o CO2 previamente a insuflação, o que diminui o desconforto do paciente e potencializa os resultados, pois o gás frio causa a vasoconstrição, princípio contrário a ação desejada que é a vasodilatação, elevação do fluxo sanguíneo local e da oferta de O2. 

Qual é o intervalo ideal entre as sessões? 

Depende do tratamento a ser feito. Em alguns casos, como no tratamento da celulite e gordura localizada, o procedimento poderá se repetir de 2 a 3 vezes por semana. Para tratamento de estrias, flacidez e rejuvenescimento deve-se respeitar intervalos relativamente maiores para que haja tempo de obter uma resposta natural do organismo (neocolagênese - produção de novas fibras de colágeno, neoelastogênese - novas fibras de elastina, e reorganização do colágeno). 

A carboxierapia ARES pode ser associada a outros tratamentos estéticos?

Para tratamentos de rugas, rejuvenescimento e flacidez cutânea pode ser associada com microcorrentes, radiofrequência, peeling ultrassônico, com a iontoforese com permeação de dermocosméticos, Flaci10 e outros. Para tratamentos de gordura localizada e celulite, pode ser associada a correntes excitomotoras como a corrente Aussie, BMAC, Russa, terapia combinada Flaci10, ultrassom, ultracavitação, vácuoterapia e massagem mecânica.. No tratamento de estrias é possível a associação com a microdermoabrasão ou a técnica do eletrolifting. Podemos dizer que a carboxiterapia é uma tecnologia “curinga” e pode ser associada com diversos tratamentos potencializando seus resultados. 

 
 
 
 

 

Fonte- Shopfisio

 

 

 

 

 

(51) 3592-6006 | (51) 3572-2503 | contato@clinicadalpizzol.com.br